A Revista Forbes fez o ranking dos melhores países para viver a reforma (e não só) depois do surto de COVID-19 e coloca Portugal – o terceiro país mais seguro do mundo, onde se fala amplamente inglês – no topo da lista. A revista destaca o custo de vida acessível, os cuidados de saúde de qualidade e o investimento feito em boas infraestruturas, que colocam o país numa boa posição nesse ranking. A revista fez ainda menção à luz do Sol, que está presente todo o ano, e às amplas praias ao longo da costa, que estão limpas, num país onde as taxas de poluição são baixas e as ruas não têm lixo.

São essas as principais razões para que em 2019, os compradores estrangeiros tenham representado 35% do total de investimento imobiliário no segmento de habitação, num total de investimento de 744,3 milhões de euros. No ano passado foram adquiridos cerca de 1630 imóveis residenciais por compradores internacionais, o que representa uma média de 31 imóveis por semana. As freguesias de Santo António e de Santa Maria Maior são, em Lisboa, as freguesias de eleição para estes investimentos, que representam respectivamente 17% e 16% do montante internacional aplicado em habitação.

O investimento proveio de investidores de 92 nacionalidades diferentes, o que representa um aumento 8 nacionalidades face ao ano anterior. Entre os 92 países que mais investem em imobiliário em Portugal, aqueles que têm mais investidores são a China, França, Brasil, Reino Unido e Estados Unidos.

 

Fontes: Revista Forbes e Confidencial Imobiliário